Radio Para

Radio Para

Crise imobiliária de 2008, regulação e ciclos econômicos

A crise imobiliária de 2008 não foi apenas uma crise imobiliária gigantesca, mas também foi uma crise econômica mundial. Dentre os fatores que a influenciaram ficou destacada a atuação do governo dos Estados Unidos.

É um bom lembrete de como a regulação é um dos fatores que interferem no mercado imobiliário, e como um investidor deve estar atento aos sinais do governo.

A expansão de crédito

O Federal Reserve (equivalente a um banco central americano) adotou durante o Governo Bush uma política monetária para estimular a economia. Ao abaixar a taxa de juros a patamares baixíssimos de modo a o acesso a crédito para a população.

Melhor imobiliaria em presidente prudente

Essa política pressionou para baixo as taxas hipotecárias, o que acabou aumentando a concessão de créditos imobiliários.

A crise do subprime

 O problema se agravou porque o governo adotava políticas que “incentivavam” os bancos a conceder créditos para clientes de alto risco (crédito subprime). Com a população tendo mais crédito disponível, o mercado imobiliário passou a crescer sem um lastro real.

Assim podemos entender porque aconteceu a onda de calotes em hipotecas. O mercado imobiliário que dava sinais de crescimento, e atraíra investimentos, tinha gerado uma bolha especulativa cujo estouro se alastrou para os demais setores da economia.